h1

Mudança de Blog

dezembro 12, 2008

Amigos, estou migrando os meus blogs para somente um blog central que é o:

http://www.rafaelsoares.com/blog

Isto significa que os posts foram migrados todos para lá.

Obrigado pela visita de todos, e um abraço!

Att.
Rafael Soares

Anúncios
h1

Tempo-Corrente

abril 2, 2008

É.. Minha falta de tempo (e talvez de um tanto de comprometimento) para escrever o artigo a seguir foi tal que há de se achar o tema um tanto quanto anacrônico, com plausível razão. Ora, é que ele já estava pronto (em estado bruto, deve-se dizer) em dezembro, era pra ser postado antes do ano novo! Mas o atraso não lhe foi prejudicial, no fim. Na verdade ele até se tornou exemplo prático do ponto a qual desejei alcançar no texto! Leia e entenda. E a princípio, o projeto é postar artigos quinzenalmente aqui no blog. Espero que os leitores já fregueses dO Tempo Não Pára os leiam com tanto gosto quanto tenho eu a escrevê-los! Vá lá o primeiro:

“Quando convidado a escrever pr’O Tempo Não Pára, além de orgulhoso e agradecido pelo reconhecimento, é claro, senti-me realizado. Realizado, pois escrever sobre o tempo, um assunto tão plural, me excita muito. O tempo me fascina de tal modo que decidi colecionar ampulhetas. Olhá-las e perceber o tempo me faz sempre pensar no que exatamente consiste este. Algo subjetivo, sem dúvida, mas algo também substantivo. Ou será que o tempo não passa de uma ilusão? Há como conhecer algo sem que exista o tempo? Qual a relação entre o tempo e o movimento? Se o tempo for algo realmente transversal à existência, é possível que algo exista fora de um tempo? Se sim, será possível viajar para frente e para trás numa possível linha temporal? Quais os paradoxos relacionados à uma viagem desse tipo? Essas são perguntas que guiarão meus prováveis próximos artigos. Espero que gostem.
Por ora, pensemos no ano novo. Não raro, o homem cria escalas para medir o universo e – por que não – controlá-lo. Com o tempo, não é diferente. Quarksegundos, nanosegundos, meses, semanas, anos. Mas como admitir que, ‘oficialmente’ um certo espaço de tempo se inicia, senão por pura comodidade? Por que o ano dois mil e oito começará justamente na zero hora do dia primeiro? (Certo, a pergunta pode ter parecido um tanto quanto estúpida, mas analisemos.) E se o ano começasse a ser medido em outro ponto da órbita da terra ao redor do sol?  E se o primeiro mês fosse março? Talvez o nome dos meses (setembro – que seria então o sétimo mês; outubro – o oitavo; novembro, o nono e dezembro, o décimo) fizessem mais sentido.
Meu ponto é o seguinte: Faz bem comemorar o ano novo. É divertido e saudável. O que não é bom é alienar-se a uma percepção do tempo completamente criada e manipulada pelo ser humano, e ainda frustrar-se por isso. ‘Mais um ano se passou e não fiz o que queria’. Ora, as coisas levam tempo, e levam o tempo necessário pra serem o que serão. Se algo precisa de um ano, dois ou cem para realizar-se, este é o tempo que deverá levar; e se em vez de marcarmos o tempo de um ano a partir de uma volta completa ao redor do sol marcássemos a partir de cada alinhamento com Marte, faríamos promessas para realizarmos nos 43.719 anos seguintes, e ainda assim, frustraríamo-nos.
Medidas de tempo foram criadas para organizar e ajudar, não para escravizar, por isso relaxe!

Daniel Contage”

h1

Paradoxos do Tempo

novembro 24, 2007

Um belo dia de sol, estava eu dentro de um ônibus com mais 3 amigos indo para uma cachoeira em Petrópolis e derrepente eis que Daniel começa uma discussão sobre um paradoxo interessante sobre o tempo. Desde então, a discussão não sai da minha mente e não arranjo tanta resposta pra ela.

A questão era a possibilidade de uma viagem no tempo. Algumas teses foram defendidas, uma delas era a de que só é possível VER o passado, e não modificá-lo. Outra foi a de que é possível sim modificá-lo! Isso é o suficiente pra fazer a gente pensar por horas e horas.

De acordo com minha pouca sabedoria sobre o assunto, Einstein disse em sua teoria sobre Espaço-Tempo, que a gravidade tem a capacidade de, resumidamente, aumentar a velocidade que o tempo passa, ou seja, pensemos no seguinte caso:

“Há dois irmãos gêmeos de 40 anos cada um. Um deles vai viajar para fora do planeta Terra e ficar em lugares onde a gravidade é muito menor como a lua, o outro viverá normalmente na Terra. 10 anos depois, esse irmão que está no espaço, volta ao planeta. O irmão que ficou na Terra já tem cabelos brancos e algumas rugas a mais, talvez até um pouco de calvice. Porém, surpreendentemente o irmão que voltou do espaço, volta sem cabelos brancos, muito menos rugas e nada de calvice. Quase como saiu do planeta.”

Como isso é possível!?

Pois é, de acordo com as teorias desenvolvidas a esse respeito pelo genioso Einstein, isso ocorreria!

Pois bem, tendo essa confirmação em mãos, sabe-se que o tempo de um passou mais devagar do que para o outro. Ou seja, se eu vivo num planeta com mais gravidade do que a Terra, eu estaria avançando no tempo? Ou seja, eu estaria no futuro em relação a terra.

Sabe-se que é possível ver o passado através do fluxo de luz. Hoje em dia, quando os cientistas vêem um planeta a muitos anos luz, geralmente eles o vêem quase que acabando sua formação, o que ocorre com muitas estrelas avistadas a grandes distâncias. Porém, isso é apenas o passado do que é a realidade, pois a luz está caminhando até nós, ou seja, vemos as coisas atrasadas. Se uma estrela é avistada a 100 mil anos luz de distância, a estrela na verdade está atualmente a 100 mil anos luz a frente do que estamos vendo agora! Ficou claro?

Mas o fato de podermos mudar o passado é realmente difícil de compreender. Mas também não saberia provar que não é possível. Pois se eu estou numa situação daquela descrita no exemplo dos gêmeos, quando eu volto do espaço, eu estou no futuro em relação ao tempo que eu estava! Ou seja, se eu tivesse um calendário com cada um dos gêmeos, o que tivesse sempre no planeta Terra estaria vários dias a frente do outro irmão que voltou do espaço. Estranho pra você? Confuso? Pra mim também!

Pra terminar, gostaria de propôr uma situação nada possível, apenas hipotética pra explicar a intenção do que gostaria de passar.

Imagine que existam dois planetas “pertos um do outro” como Terra e Marte que chamaremos de planeta Alfa e Beta. O Alfa tem uma gravidade muito maior que o Beta, ou seja, o tempo no planeta Alfa passa mais rápido do que no planeta Beta. Porém, imagine que eu tenha a incrível habilidade de esticar minhas pernas até a distância que eu quiser! Eu estou residindo no planeta Alfa, e estico minhas pernas até o planeta Beta. Se nos basearmos no comentado acima, minhas pernas estariam num tempo mais devagar que no planeta Alfa, ou seja, meu corpo estaria em dois tempos diferentes ao mesmo tempo!?” .

Aguardo FeedBack de todos!

Abraços!

h1

Viagem no Tempo [VIDEOS]

outubro 31, 2007

Encontrei alguns Videos no Youtube dublados em Português de Portugal exibidos pela Discovery Channel.

Trata de teorias sobre o Tempo e fala do assunto muito discutido, Viagem através do Tempo.

É um documentário dividido em 6 partes. Estou colocando o primeiro video podendo ver direto daqui do Blog, e as continuações, estão nos links abaixo do video.

Espero que gostem! 😉

Continuações:
Parte 2: http://www.youtube.com/watch?v=s4fnTpLOWo4
Parte 3: http://www.youtube.com/watch?v=11_zzPVv7Ug
Parte 4: http://www.youtube.com/watch?v=3782AUAJ3e8
Parte 5: http://www.youtube.com/watch?v=b5OYIOnbATg
Parte 6: http://www.youtube.com/watch?v=MtKrJMWwEQI

Boa diversão!

Rafael Soares

h1

A Quarta Dimensão

outubro 29, 2007

Einstein com sua teoria da relatividade, conseguiu provar que o tempo é algo muito mais complexo do que se imaginava. Ele disse que, um objeto em movimento visto por uma pessoa em repouso, tem movimentos em instantes diferentes em relação a uma pessoa em movimento. Parece absurdo, não é? Mas Einstein conseguiu provar isso através de cálculos e também na prática.

Para escrever sua Teoria da Relatividade, Einstein teve que usar um sistema de quatro dimensões, que até então é de impossível representação gráfica. Podemos perceber as três dimensões primeiras, que são designadas como Altura, Largura e Comprimento. Porém, percebeu-se que ao modificar os números de um desses três eixos, isso deveria se fazer dentro de um espaço. Mas, o que ninguém tinha pensado antes, é que o tempo estaria envolvido nisso. Ao contrário do que se pensava, o tempo e o espaço estavam muito relacionados entre sí, e então Einstein passou a chamar a quarta dimensão de Espaço Temporal ou Espaço-Tempo. Ou Seja, tudo que ocorria em um espaço, ocorria dentro de um tempo. Desde então, é dado que o tempo é a nossa Quarta Dimensão.

Existem algumas teorias mais recentes que já estão colocando o tempo como a Quinta Dimensão. Mas atualmente, estamos tratando ainda como a Quarta Dimensão. Caso você queira saber mais sobre essas teorias mais recentes, procure sobre A Teoria do Mundobrana.

Bem, espero que o resumo sobre a Quarta Dimensão tenha sido bem entendido. Caso queiram mais esclarecimentos, podem postar suas dúvidas que irei respondê-las o mais rápido possível.

Até o próximo artigo!

Abraços!

h1

O Tempo Não Para

outubro 28, 2007

Olá a todos! Este é meu primeiro post no blog, e para inaugurar, gostaria de falar um pouco sobre o título, “O Tempo Não Para“.

Cazuza foi muito sábio quando disse essa famosa frase. Mas será que ele estava certo? Afinal, o tempo é igual a nossa percepção temporal? Ou seja, será que o tempo é uma dimensão separada que nós não podemos controlar, ou será que com minha concentração, eu posso simplesmente parar o tempo por alguns instantes?

Essa incógnita foi amplamente discutida por Einstein quando ele citou que o tempo era relativo. Resumindo, ele disse que o modo como percebemos o tempo não é igual para mim, como é para você. Ou seja, você vê de uma forma, eu vejo de outra. Baseado nesse fato, será que podemos dizer que o tempo é algo que nós criamos e trazemos para nossa realidade de uma forma individual, ou o tempo existe independente de querermos ou não?

Ao passo que os artigos aqui neste blog forem publicados, tentaremos entender as formas de pensamento a respeito dessa magnifica existência que já foi estudada e até mesmo rejeitadas pelo homem.

O tempo é algo que não é tão simples de entender, porém absorvemos de uma forma que ele simplesmente existe, apesar de não sabermos explicar exatamente o que seja.

Por enquanto, é só.

Abraços!